Paróquia São Jorge Mártir
 
Buscar no site

Ajude a divulgar nosso site votando no concurso Top Catolicanet. É só clicar na figura abaixo:
Existem
24 usuários online


Curso: O Catecismo da Igreja Católica

Autor: Jayme Pujoll e Jesus Sanches Biela
Fonte: Livro "Curso de Catequesis" do Editorial Palavra, España
Tradução: Pe. Antônio Carlos Rossi Keller

TEMA 14: A PAIXÃO E MORTE DE JESUS

INTRODUÇÃO:

Entre os grandes mistérios do amor de Jesus Cristo que os Evangelhos narram, o que mais fortemente aparece é a sua Paixão, sua Morte e Ressurreição. Os evangelistas vão nos contando a traição de Judas, o julgamento iníquo ante os tribunais, a flagelação e coroação de espinhos e a sentença de morte. Com a cruz às costas, vai Jesus a caminho do Calvário, onde é despojado de suas vestes, cravado na cruz e colocado entre ladrões. Depois de três horas de grandes dores e agonia, Cristo morre. Descido da cruz e entregue a sua Mãe, puseram Jesus no sepulcro.
Por que morreu Jesus Cristo? Para nos salvar, quer dizer, para obter o perdão de nossos pecados e nos devolver a graça e a amizade com Deus, manifestando seu amor e mostrando a malícia do pecado.

IDÉIAS PRINCIPAIS:

1. Jesus Cristo é o Salvador

Depois do pecado dos nossos primeiros pais, Adão e Eva, o homem necessitava ser redimido. Deus, em seu infinito amor para com a humanidade, nos enviou seu Filho para que nos salvasse de nossos pecados. Jesus Cristo é o Filho de Deus feito homem, que nos salvou. Ele e somente Ele é o Salvador, o Redentor da humanidade.

2. Jesus Cristo oferece um sacrifício de valor infinito

Na Sagrada Escritura há uma cena comovedora: Deus pede a Abraão que sacrifique a seu único filho. Abraão obedece heroicamente e toma Isaac com um pouco de lenha, subindo a um monte para sacrifica-lo. Mas, uma vez provada a fé de Abraão, Deus não consentiu em que fosse Isaac sacrificado (Gênesis, 22,1-13).
O sacrifício de Isaac é figura da Paixão de Cristo, com a diferença de que Deus não poupou a seu próprio Filho e o entregou à morte por nós. Jesus aceitou a vontade do Pai por caridade e obediência. E como era o Filho de Deus, qualquer coisa que fizesse podia salvar-nos, porque tudo o que fazia era de valor infinito. Se quis sofrer tanto, foi para demonstrar-nos o quanto nos ama e fazer- nos compreender a gravidade do pecado.

3. O sacerdote Jesus Cristo oferece-se a si mesmo

No Antigo Testamento, os sacerdotes eram os encarregados de oferecer os sacrifícios a Deus; estes sacrifícios eram oferecidos por todo o povo: umas vezes, frutos da terra (trigo, vinho, etc..), e outras, animais. Jesus Cristo, sacerdote eterno, não ofereceu coisas da terra ou animais, mas ofereceu-se a si mesmo. Este é o sacrifício mais perfeito de todos os que foram oferecidos sobre a face da terra, porque é o sacrifício do Filho de Deus feito homem. Jesus Cristo é, por sua vez, o Sacerdote que se ofereceu a si mesmo na cruz e a Vítima deste mesmo sacrifício.

4. Para que Jesus se ofereceu na cruz?

Jesus Cristo se ofereceu na cruz principalmente por quatro motivos:

  • Para dar glória a Deus, seu Pai. O fim do homem nesta terra é dar glória a Deus. Jesus Cristo, representando toda a humanidade, glorificou infinitamente a Deus com sua paixão e morte.
  • Para dar graças. Com sua paixão e morte, Jesus Cristo deu graças a Deus em nome de toda a humanidade.
  • Para reparar a ofensa do pecado. Ao pecar, o homem se fez escravo do pecado e com suas próprias forças não poderia jamais se libertar desta escravidão; tinha a alma manchada e não poderia limpa-la. Com seu sacrifício, Jesus Cristo rompeu as cadeias do pecado: seu sangue limpou a mancha que os pecados produzem na alma. Jesus Cristo entregou sua vida por nós para que nós, morrendo ao pecado, pudéssemos viver a vida da graça.
  • Para pedir a Deus o que necessitamos. Jesus Cristo, oferecendo o sacrifício de sua vida, faz que Deus Pai escute sempre o que lhe pedimos em seu nome. Por isto, quando Cristo nos ensinou como temos que pedir, nos disse: "Tudo o que pedis a Deus em meu nome, vos será concedido.... Pedi e recebereis" (João 16,23-24).

5. A cruz na vida do cristão

O Evangelho nos ensina que o discípulo de Cristo tem que levar a cruz: "O que não toma sua cruz e me segue, não pode ser meu discípulo" (Lucas 14,27). Jesus carregou a cruz às costas também para dar-nos exemplo e ensinar-nos a amar o sacrifício. Temos de amar as coisas que nos custam, oferecendo- as a Jesus, e buscar além disto estas coisas que nos custam, desejando identificar-nos com Ele. A cruz está presente não só nas igrejas, mas em muitos outros lugares; é o símbolo dos cristãos, que recorda a paixão e morte do Senhor.

6. Propósitos de vida cristã

  • Ao ver uma cruz ou um Crucifixo, agradecer a Jesus que morreu para nos salvar.
  • Meditar com freqüência as 14 estações da Via Sacra.

Esta página é melhor visualizada na resolução 800x600 ou maior.
voltar
  ©Paróquia de São Jorge Mártir
     Diocese de Santos - SP - Brasil
Visitas
desde 11/11/2010:
Aqui em Santos/SP:
Adicione nosso Site aos seus favoritos Faça de nosso Site sua página inicial Envie um e-mail para nós

Última atualização: 28/09/2005

By Maurício S. Canavese